As 20 chaves Educativas para 2020

No encontro internacional da educação promovido pela Fundação Telefonica realizado em Madrid em 2013.

Neste são analisados vários fatores, entre eles, a “(…)transição de uma sociedade tradicional e industrial a uma sociedade criativa e inovadora; (…)  e o educar, ensinar e aprender diante de um futuro mercado de trabalho em constante transformação”.

Neste contexto é imperiosa a criação de pontes entre a “(…) educação e a sociedade definindo estratégias adaptadas aos novos tempos”.

Outro fator de importante nesta nova realidade é a necessidade da aprendizagem ao longo de toda a vida, desenvolvendo sempre novas competências de modo a ser-se competente numa “(…) sociedade globalizada e eclipsada pelos avanços das TIC”.

 

Um fator a ter em conta quando se fala de inovação educativa é que esta é sempre relativa, devendo ser avaliada em relação ao contexto social, económico e cultural do lugar em que se desenvolve.

Para melhor identificar as mudanças ocorridas na sociedade esta tem sido classificada em 1.0, 2.0 e 3.0, sendo que, segundo Eladio Cisneros Reyes:

  • 1.0 – diz respeito às normas e práticas que prevaleceram desde a sociedade pré-industrial à sociedade industrial;
  • 2.0 – diz respeito enormes transformações sociais que estão a ocorrer na sociedade atual e que têm sua a origem, principalmente, na mudança tecnológica;
  • 3.0 – faz alusão à sociedade de nosso futuro mais imediato, para que sejam feitos prognósticos das enormes transformações, produto das mudanças tecnológicas aceleradas.

Uma das frases interessantes que retiro do blog do Eládio Reyes sobre a educação dos nossos jovens é: “(…) debemos educarlos hoy, ofreciéndoles las herramientas necesarias para que ellos puedan adaptarse a una sociedad versátil, una sociedad reinada por la globalización y dominado por el uso de las nuevas tecnologías”. 

 

O perfil do profissional ideal para a sociedade do século XXI, deve ser um “(…) indivíduo criativo, empreendedor, crítico, competente com o mundo digital, com altas habilidades sociais e que se adapte a ambientes profissionais diversos(…)”.

Mas para que se possa ensinar e promover o desenvolvimento deste individuo, é fundamental:

  1. Cidadão do séc. XXI: “(…) adaptavel a qualquer ambiente”
  2. Inclusão social: “(…) como eixo principal, em que todos devem ter acesso às mesmas oportunidades;
  3. Liderança institucional: “(…) baseada na construção de um sentimento de comunidade sólido, unido ao  uso das TIC.(…)”;
  4. Inteligência coletiva: “(…) o ser humano é social por natureza, por isso devem ser aproveitadas as possibilidades abertas da sociedade digital (…)”;
  5. Conteúdos + Pedagogia + Tecnologia: “(…) a interseção entre três fatores fundamentais são chaves para a introdução das TIC nos processos educativos: sólidos conhecimentos dos conteúdos, domínio de competências pedagógicas e utilização de ferramentas tecnológicas e suas possíveis aplicações. A tecnologia não reinventa a pedagogia, apenas amplia suas possibilidades (…)”.
  6. Novos métodos de avaliação: “(…) não deve estar centralizada, (…) em determinar o sucesso na aquisição de conteúdos, mas sim no domínio das competências do século XXI(…)”;
  7. Mito dos nativos digitais: “(…) [deixar de considerar] que todos os jovens são nativos digitais, que dominam as TIC e [que] as usarão de forma útil no século XXI (…)”;
  8. Fomentar a criatividade: “(…) evitar bloquear a criatividade dos aprendizes; isto é, enterrar um sistema educativo baseado no controle e instaurar um de empowerment. O aluno nasce sendo criativo e o sistema educativo deve gerar as condições para que ele possa continuar desenvolvendo essa criatividade.”
  9. Educação emocional: “(…) a finalidade principal da Educação é fazer com que cada pessoa alcance um grau ótimo de bem-estar social e emocional, razão pela qual a educação emocional deve ocupar um lugar privilegiado nos sistemas educativos.”
  10. Cooperação entre família, escola e comunidade: “(…) A educação não é exclusiva das instituições educativas: é possível aprender em qualquer lugar da sociedade. Para isso, deve existir conexão e cooperação entre família, escola e comunidade.”
  11. Liderança sem burocracia: “(…) uma instituição educativa deve ter como principal finalidade a melhora educativa dos discentes, com uma liderança focada na pedagogia e afastada da pura burocracia.”
  12. Desenvolvimento de competências: A sociedade digital requer que os sistemas educativos desenvolvam a autonomia, adaptação, tratamento da informação, etc., reformando o currículo.
  13. Foco nos interesses do aprendiz: a aprendizagem deve ocorrer de forma natural, partindo dos interesses do aprendiz, da prática e dos erros para que seja levado em conta o que ele já sabe e o docente possa reorienta-lo durante o processo.
  14. Um novo papel do professor e mudança na sua formação: “(…) da transmissão de conteúdos à orientação e apoio do aluno, gerando as condições para que ele mesmo, de maneira ativa e experimental, construa [o] seu próprio conhecimento. Isso implica reconfigurar a formação docente, contemplando de forma mais sólida o uso pedagógico dos ambientes digitais para a sociedade do século XXI.”
  15. Nova ecologia da aprendizagem: reconfiguração da “(…) educação, entendida no seu sentido amplo, além da sua simples consideração como escolarização.”
  16. Âmbitos educativos: “(…) disrupção no sistema educativo proposto como ente isolado da sociedade. As aprendizagens em ambientes não formais e informais estão crescendo rapidamente e (..) teremos (…) que considerar os benefícios de todos [os] âmbitos educativos.”
  17. Interação com os conteúdos: “(…) a aprendizagem não está nos conteúdos, mas nas interações que ocorrem ao redor deles. A aprendizagem em rede através de interações deve consistir em agregar, combinar e colocar em prática os conhecimentos.”
  18. Formação adaptada às demandas: “(…) a construção do currículo [para] formar os novos perfis demandados pela sociedade terá que ser feita entre todos os agentes envolvidos em seu desenvolvimento. A sociedade e as escolas devem colaborar para adaptar a formação às demandas sociais do século XXI.”
  19. Formar cidadãos, não apenas profissionais eficientes: “(…) um sistema educativo aberto à comunidade e baseado em aprendizagens colaborativas que implicam toda a sociedade. O trabalho desse sistema não é formar cidadãos simplesmente para serem úteis a um mercado, mas também formar cidadãos capazes de se desenvolverem em todos os níveis sociais”
  20. Ansiedade tecnológica: “(…) a tecnologia avança rapidamente, por isso, é impossível prever que tipo de tecnologia teremos em um futuro próximo. O que a sociedade pode fazer é «desenhar» como deseja que a educação do século XXI seja; a tecnologia que a acompanhará será a que estiver disponível quando ela for implantada.”

Mais informações: aqui

 

 

Fonte: http://www.midiaseducativas.com.br/site/20-chaves-educativas-para-2020-segundo-50-mil-pessoas/

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s